RENÉ SCHUBERT
rene.schubert@gmail.com

Toques na Alma

Este mês de março é muito especial. Lancei, com outros colegas, o segundo volume do livro Toques na Alma.

Faz três anos que lançamos o primeiro volume. Um livro com diversas práticas, exercícios, dinâmicas de grupo, reflexões a serem aplicadas em
treinamentos, workshops e nos atendimentos individuais voltados para o campo das constelações familiares. Estes exercícios e dinâmicas foram
aprendidos com diversos professores nacionais e internacionais em nosso percurso como facilitadores.

Esse primeiro volume teve excelente recepção pelo público de facilitadore(a)s, terapeutas, consultore(a)s, professore(a)s, mediadore(a)s e aluno(a)s/treinando(a)s. Por conta dessa receptividade e retorno do(a)s colegas, nos juntamos novamente e escrevemos o segundo volume.

Tal como na última vez, os exercícios eram expostos, aplicados e revistos em nossos encontros de intervisão. A intervisão é um momento de encontro
entre colegas nos quais refletíamos sobre o campo das constelações familiares. Trocávamos experiências e permitíamos que nossa vivência e
pontos de vista tivessem a intervenção e colaboração de nossos colegas.

Nesses encontros, muitas vezes trazíamos exercícios e dinâmicas aprendidas nos diversos treinamentos, workshops e formações. Pouco a pouco, fomos tomando nota desses exercícios, reaplicando os mesmos em nossos próprios treinamentos e ambientes de trabalho, e criamos protocolos para torná-los mais compreensíveis e didáticos. Após alguns encontros e práticas, nos propusemos a publicá-los em um livro. Agora, já são dois livros.

Parto do princípio de que a constelação familiar, como técnica, abordagem e postura só pode ser aprendida a partir da prática. Esses exercícios e
dinâmicas são um excelente recurso para que treinandos/alunos, terapeutas e facilitadores possam experienciar, verificar temáticas e hipóteses no
campo em um enquadramento determinado a partir de esquemas, estruturas, posicionamentos, falas e em um tempo preestabelecido. Apesar
de alguns facilitadores chamarem esses exercícios e dinâmicas de miniconstelações, estas não estão livres quanto aos movimentos e ao tempo, como em uma constelação familiar em si – esses exercícios têm uma estrutura, roteiro, começo, meio e fim. São para aprendizado, experimentação, apuramento de percepção, verificação no campo a partir de posicionamentos e posturas, autoconhecimento, autodesenvolvimento e ferramentas, recursos terapêuticos para facilitadores. Tal como a constelação familiar, têm origem e fonte em diversas escolas e abordagens, como a programação neurolinguística, hipnoterapia, Gestalt, psicodrama,
entre outras.

Tenho utilizado esses exercícios e dinâmicas em meus workshops, treinamentos e nos atendimentos individuais – obtendo bons resultados quanto às percepções corporais, mudanças de perspectivas e insights. Desta vez, o livro conta com 40 exercícios e recursos sistêmicos voltados para o campo da constelação familiar, pedagogia sistêmica, mediação, consultoria sistêmica e constelação organizacional. O livro poderá ser encomendado pela Editora Conexão Sistêmica ou comprado junto aos escritores.

Desejo uma boa leitura e prática a todo(a)s!

JORNALZEN® 2020 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS