ZENTREVISTA

DESAFIO SOLIDÁRIO

Cícero Barreto

Com a chegada do inverno, milhares de pessoas em situação de rua, na cidade de São Paulo, estão vulneráveis à hipotermia e outras doenças decorrentes da exposição. Na atual conjuntura sanitária, com a pandemia do novo coronavírus, essa população está ainda mais vulnerável. Frequentador das ruas em suas atividades esportivas, o ultramaratonista Cícero Barreto resolveu mobilizar a comunidade de corredores em uma iniciativa para minimizar o sofrimento dos cidadãos mais vulneráveis na capital paulista. Em parceria com o Núcleo Assistencial Anjos da Noite, que há 30 anos presta assistência para pessoas em situação de rua, ele desenvolveu o desafio “Aquecendo as Ruas”, pelo qual corredores amadores e profissionais doam um cobertor para cada quilômetro percorrido. Natural de Três Lagoas (MS), Cícero, 46 anos, é também executivo da área da saúde. Nesta entrevista ao JORNALZEN, ele fala mais sobre o projeto, que conta com a mobilização dos participantes para engajar novos corredores, criando uma verdadeira rede de solidariedade.

O que o levou a mobilizar corredores para ajudar pessoas em situação de rua?
A comunidade de corredores e as pessoas em situação de rua dividem o mesmo ambiente, mas em condições muito diferentes. Quando treinamos, vamos às ruas em busca de qualidade de vida através do esporte que amamos. Mas, para quem vive nela, a rua é um ambiente opressor e implacável. O objetivo do projeto é oferecer algum conforto para pessoas cujas vidas estão ainda mais ameaçadas durante o inverno. Com o agravante da Covid-19, que lota os leitos hospitalares, elas estão ainda mais vulneráveis. Por isso nos juntamos aos Anjos da Noite. Mais do que uma refeição ou um cobertor, eles levam afeto e uma mão amiga para uma comunidade invisível para muitos paulistanos.

Participa ou participou de outras iniciativas ligadas à solidariedade?
Em parceria com a ONG Amigos do Bem, percorri 112 quilômetros na ultramaratona Salomon Ultra-Trail, na Hungria. A distância foi convertida em 11.112 litros d’água, que foram doados para famílias carentes no sertão do Nordeste. Toda prova entro sabendo da responsabilidade que carrego nos ombros. Mas aquela era especial. Tinha mais um motivo para correr. Cada quilômetro superado significava cem litros de água para uma comunidade que enfrenta a seca, algo que é muito mais desafiador e aterrorizante que uma montanha.

Em que consiste o desafio “Aquecendo as Ruas”?
Mobilizamos a comunidade de corredores de rua para ajudar nossos irmãos em situações de vulnerabilidade. A proposta é que, para cada quilômetro de corrida ou caminhada, a pessoa doe um cobertor, que custa apenas 10 reais, além de marcar outros amigos nas redes sociais e incentivá-los a participar também, criando uma rede de solidariedade em prol da população em situação de rua. Queremos estreitar os laços entre as duas comunidades, aprender com eles e descobrir soluções para que essas pessoas tenham sua dignidade restituída.

De que forma o esporte pode colaborar para o sucesso de projetos sociais?
O esporte é um grande mobilizador. Sua prática é motivada por paixão e por uma busca por uma vida mais plena e saudável. Quando pessoas motivadas e apaixonadas se unem em prol de uma causa, principalmente quando a causa é ajudar irmãos em necessidade, a faísca que leva um projeto do papel à prática é mais robusta. Muitas modalidades ou mesmo instituições vêm se mobilizando durante a pandemia para prestar auxílio a pessoas em situação de fragilidade social. Nossa iniciativa é focada nas pessoas em situação de rua, que compartilham o mesmo ambiente que nós de forma bem assimétrica. Mas toda modalidade e todo esportista guarda o potencial de usar do seu esporte para promover o bem, para estender a mão e dizer: estamos juntos.

Na qualidade de executivo na área de saúde, como avalia o quadro da pandemia em nosso país?
O quadro da pandemia é preocupante e os números demonstram que é fundamental seguirmos as orientações das autoridades sanitárias.

Como vê a proposta do JORNALZEN, de divulgar iniciativas positivas?
Vivemos dias nos quais o noticiário parece muitas vezes páginas de um romance distópico. Temos grandes desafios enquanto sociedade para enfrentar após a pandemia, sejam eles econômicos, sociais ou políticos. Mas é importante olhar para o que está dando certo, para as boas atitudes que brasileiros de todas as regiões desenvolvem todos os dias, de forma altruísta e colaborativa, para mitigar injustiças, para proteger o meio ambiente. Quando vemos esses exemplos, somos motivados a ser pessoas melhores, mais ativas e mais dispostas a doar nosso tempo e nosso recurso em prol da comunidade.

Que mensagem gostaria de deixar aos nossos leitores?
Sejam gentis, pratiquem esportes e olhem à sua volta. Tem sempre alguém que você pode ajudar e com quem você pode aprender.

JORNALZEN® 2020 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS